FEMAMA se junta à União Internacional para o Controle do Câncer para reivindicações por cuidados mais justos aos pacientes

 

No próximo dia 4 de fevereiro será realizado o Dia Mundial do Câncer, uma iniciativa global liderada pela União Internacional para o Controle do Câncer (UICC) e que, no Brasil, é apoiada e disseminada pela FEMAMA – Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama.

A iniciativa, que este ano tem como tema “Por Cuidados Mais Justos”, tem por objetivo aumentar a conscientização mundial, melhorar a educação e catalisar ações pessoais, coletivas e governamentais. “Com essa iniciativa, queremos propor um mundo onde milhões de mortes evitáveis por câncer sejam poupadas pelo acesso rápido ao diagnóstico e tratamento adequado. Melhores cuidados ao paciente com câncer podem salvar vidas. Acesso  equitativo para todos – não importa quem você é ou onde você mora”, explica a Dra. Maira Caleffi, presidente voluntária da Femama e Chefe do Serviço de Mastologia do Hospital Moinhos de Vento em Porto Alegre.

Em 2022, a Femama criou o hotsite diamundialdocancer.femama.org.br totalmente em português para concentrar todas as ações da campanha. Lá é possível conhecer todas as formas de se engajar com a campanha global, inclusive nas mídias sociais. A #RedeFEMAMA – rede de mais de 70 ONGs associadas à FEMAMA em todas as regiões do Brasil, em mais de 20 estados – também costumam organizar atividades locais e iluminação de pontos de referência em alusão à data.

O Dia Mundial do Câncer foi criado em 2000 e sempre elege um tema importante que impacte para diminuir o número de mortes por câncer no mundo. Hoje, há muita desigualdade no diagnóstico e tratamento. Renda, educação, localização geográfica e discriminação com base na etnia, gênero, orientação sexual, idade, deficiência e estilo de vida são apenas alguns dos fatores que podem afetar negativamente o atendimento. Por isso este ano o tema Por Cuidados Mais Justos tem por objetivo diminuir essa lacuna de equidade que afeta quase todos, tanto em países de alta como de baixa e média renda, e está custando vidas.

Essa preocupação com diagnóstico e tratamento justo para todos é uma das bandeiras da Femama desde sua fundação em 2006.  Para a entidade, desigualdade social pode ser mais perversa do que parece. Além de todos os problemas socioeconômicos e educacionais causados por ela, esse desajuste pode também afetar principalmente as mulheres com câncer. O diagnóstico precoce pode aumentar as chances de sobrevida principalmente em câncer de mama e colo de útero, por exemplo.

Exatamente por isso, as lutas atuais da Femama são para a incorporação  de testes genéticos e genômicos  no SUS e a derrubada do veto presidencial para o uso de quimioterápicos orais. “Essas lutas devem ser de todos, pois são medidas que podem ajudar todos os pacientes”, afirma dra. Maira Caleffi.

A campanha do Dia Mundial do Câncer inicia em 17/01 nas mídias sociais e hotsite. Ela se encerra em 04/02, com a iluminação da estátua do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, nas cores da campanha, laranja e azul. No Brasil, a campanha é realizada pela FEMAMA e tem o investimento social da Daiichi Sankyo e da Sanofi.

5 de fevereiro: Dia Nacional da Mamografia

Outra data importante para o câncer em fevereiro é dia 5, em que o Brasil celebra o Dia Nacional da Mamografia, destacando a importância de se fazer o exame de detecção precoce do câncer de mama. A doença, quando detectada no início, tem chances de cura de até 95%. 

“Uma em cada 12 mulheres terá câncer de mama no Brasil, sendo 66 mil novos casos em 2021. Precisamos incentivar o diagnóstico precoce para salvar milhares de mães, esposas, filhas e amigas. Cuidar de si mesmo e de quem você ama precisa ser um ato diário, o câncer não tem hora e nem dia marcado para acontecer”, destaca Caleffi.

A fim de contribuir para que o autocuidado seja uma prática diária, a FEMAMA resgata a campanha do Outubro Rosa “3 perguntas que Salvam”, que incentiva homens, mulheres e jovens a tomarem uma atitude prática perguntando para as mulheres que amam:

  1. Você já fez a sua mamografia este ano?

  2. Você tem controlado o seu peso?

  3. Você tem feito atividade física regularmente?

Além disso, neste Dia Nacional da Mamografia, a FEMAMA também destaca o seu apoio ao PDL 679/2019, projeto do legislativo que quer fazer valer a Lei 11.664/2008, que garante a mamografia de rastreamento anual para mulheres a partir dos 40 anos e seu repúdio à Portaria 61/2015 do Ministério da Saúde – a qual a instituição considera inconstitucional -, que restringiu o exame para a faixa dos 50 a 69 anos a cada dois anos.

Matéria publicada pela FEMAMA – Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama, em 17 de janeiro de 2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *