04/02 | DIA MUNDIAL DO CÂNCER – EU SOU E EU VOU – 3 PERGUNTAS QUE SALVAM

Você já fez as 3 perguntas que salvam para quem você ama?

  • 1. Você tem observado suas mamas ?
  • 2. Você já marcou seus exames anuais?
  • 3. Você conhece seus fatores de riscos?

A CAMPANHA

Em outubro, o Brasil inteiro volta os olhares e se mobiliza em prol da conscientização do tipo de câncer mais incidente entre mulheres: o de mama.

UMA EM CADA 12 MULHERES VAI SER DIAGNOSTICADA COM CÂNCER DE MAMA NO BRASIL

SOMENTE EM 2020, 66 MIL MULHERES TERÃO ESTE DIAGNÓSTICO.O DIAGNÓSTICO PRECOCE OFERECE ATÉ 95% DE CHANCES DE CURA.

Ao longo dos anos, os esforços no sentido de mitigar esse número tem alcançado certo sucesso, mas de forma ainda muito tímida. Muito por causa da dificuldade do acesso a consultas médicas. Muito por causa da falta de informação sobre como realizar o diagnóstico precoce. E dos mitos em relação aos fatores de risco da doença.

Por isso criamos uma grande campanha onde, desta vez, o apelo é diferente. Baseado numa ação simples, efetiva e que vai entrar para a cultura popular.

Pergunte à pessoa que você ama 3 perguntas.

3 perguntas que podem fazer a diferença para o diagnóstico precoce do câncer de mama.
3 Perguntas que podem salvar 1 vida.

CONHEÇA SUAS MAMAS

VOCÊ SABIA QUE, SE DIAGNOSTICADO PRECOCEMENTE,
O CÂNCER DE MAMA TEM ATÉ 95% DE CHANCES DE CURA?

O câncer de mama é o resultado da multiplicação anormal e desordenada de células da mama, formando um tumor. Esse comportamento das células é provocado por uma alteração genética ao longo da vida, que pode ser espontânea ou herdada (o que ocorre apenas em cerca de 10% dos casos).

O câncer pode se manifestar antes que os sintomas sejam aparentes ou identificados pelo paciente e é por isso que manter os exames em dia faz toda a diferença. Nessa etapa, os esforços não se direcionam a evitar que o câncer se manifeste, e sim a investigar se ele está presente, para possibilitar que o tratamento inicie o mais rápido possível. A detecção precoce é fundamental para reduzir o índice de mortalidade da doença.

EXAMES ANUAIS

Quanto mais rápido o câncer de mama é diagnosticado e tratado, maiores são as chances de cura, com tratamentos menos invasivos para a paciente e com investimento menor e mais eficiente para a gestão pública.

A detecção precoce do câncer de mama pode ser feita em consultas ao ginecologista através do exame clínico (palpação da mama pelo profissional de saúde), e por exames de imagem que possam ser solicitados pelo médico.

ATENÇÃO! NÃO EXISTE IDADE MÍNIMA PARA VOCÊ SE CONHECER, MANTER UMA ROTINA DE AUTOCUIDADOS E ATENÇÃO A SUA SAÚDE!

AUTOCONHECIMENTO

É importante para que a mulher conheça seu corpo e possa notar qualquer alteração nas mamas, procurando rapidamente um médico para prosseguir com a investigação. Conhecida como “autoexame”, essa prática não substitui os exames de detecção precoce.

EXAME CLÍNICO DAS MAMAS

Esse será o primeiro passo dentro do consultório do médico. A palpação deve ser feita por profissionais capacitados que, caso vejam a necessidade, irão indicar os exames de imagem como ultrassonografia.

ULTRASSONOGRAFIA

Também conhecido como ecografia mamária, o exame ultrassonográfico tem grande relevância na detecção de alterações mamárias variadas juntamente a mamografia, mas não a substituindo. Neste exame, o aparelho de ultrassom trabalha com ondas sonoras de alta frequência, que proporcionam imagens da estrutura interna dos órgãos do corpo, como a mama. Também é aconselhada para mulheres com mamas densas, especialmente as mais jovens. Muitas vezes, essas mulheres não podem fazer a mamografia, pois será difícil de enxergar com precisão.

MAMOGRAFIA DE RASTREAMENTO

Este exame consiste em um tipo específico de radiografia que localiza possíveis sinais precoces dos tumores de mama, antes até que seja possível palpar as lesões. Ele também é essencial para a fase de tratamento após a verificação da existência da doença. Deve ser realizada anualmente em todas as mulheres com idade entre 40 e 69 anos.

Conteúdo publicado pela FEMAMA – Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama, acessado em 27 de janeiro de 2021.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *